Facebook Twitter RSS
magnify
Home Notícias Placas do Mercosul: tudo o que você precisa saber
formats

Placas do Mercosul: tudo o que você precisa saber

Depois de apresentar a versão digital da carteira de motorista, o Conselho Nacional de Trânsito definiu que o sistema de identificação de veículos agora será a mesma utilizada em países do Mercosul, com a premissa de trazer mais segurança e eficiência ao identificar veículos.

Confira neste post todas as informações sobre as novas placas.

Por que a nova placa foi criada?

Baseada nos mesmos moldes do sistema adotado pelos países pertencentes à União Europeia, a nova placa Mercosul foi criada para padronizar a identificação dos veículos do Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela.

Dessa forma, vai ser possível criar um banco de dados integrado, o que promete facilitar a fiscalização, principalmente no que diz respeito a veículos roubados que cruzam as fronteiras.

Onde se utiliza o novo emplacamento?

Já utilizado no Uruguai e Argentina, o novo sistema de emplacamento será testado no Rio de Janeiro, para se ter uma base nacional, já que o estado possuiu a quarta maior frota do Brasil.

A mudança não é obrigatória nem mesmo no estado. Apenas veículos novos ou automóveis que tiverem as placas atuais danificadas ou passarão por troca de categoria, transferência de proprietário, município ou estado utilizaram a nova placa.

A nova placa Mercosul tem seis modelos, sendo que, assim como no sistema atual, cada um indica o tipo de uso ao qual o veículo se destina. Contudo, diferentemente do padrão em vigor, o que faz essa distinção não é mais a cor do fundo.

Mudanças na placa

Se percebe uma nova formatação das placas. Se tratando de cor, ao ver um veículo com a placa vermelha e letras brancas, você já sabe que ele é usado para fins comerciais, ou seja, transporte remunerado.

O mesmo ocorre com a famosa “chapa preta” — destinada a automóveis restaurados e de coleção. No novo modelo, a cor dos dígitos de identificação se altera de acordo com o tipo de veículo e o fundo sempre vai ser branco.

Porém, você não precisa se preocupar. A identificação é bem fácil e o padrão de cores adotado para os dígitos não foge muito do atual. O sistema de identificação funciona da seguinte forma:

placa-mercosul-2

  • placa com dígitos pretos — usada em carros particulares;
  • cinza — destinada a veículos antigos e de coleção;
  • vermelho — automóveis comerciais;
  • verde — veículos especiais, como carros de testes;
  • amarelo — automóveis de uso diplomático ou consular;
  • azul — veículos oficiais do governo.

Já se tratando de leitura de informações, a plaqueta que identifica o estado e o município de registro também será aposentada. Em seu lugar haverá somente a inscrição “Brasil”.

Dois brasões irão identificar o município e o estado do automóvel, com o nome da cidade escrito em uma fonte menor sob o logotipo.

placa-mercosul-1

Nova numeração

Além das cores, outra alteração importante se dá no sistema de dígitos da nova placa Mercosul. Nos modelos atuais, são três letras seguidas de quatro números. A versão mais moderna segue o seguinte padrão — sendo “L” letras e “N” números:

  • LLL NL NN — para automóveis;
  • LLL NN LN — para motocicletas

Gostou das informações? Nos acompanhe no Facebook e não perca mais nenhuma de nossas dicas e novidades sobre o mercado automobilístico. Acesse nosso site e confira nossos novos modelos de veículos!

 
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn
No Comments  comments 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *